Sete exames para fazer no seu bebê antes de deixar a maternidade

Teste do pezinho e outros exames fazem diagnóstico precoce e otimizam tratamentos.

Cuidados relacionados à prevenção não só livram você de muitas doenças como aumentam as chances de sucesso de um eventual tratamento nos casos em que, pela genética ou fatores ambientais, os cuidados não foram suficientes para afastar um problema de saúde. No caso de um recém-nascido, as precauções começam antes mesmo de deixar a maternidade – quanto mais cedo melhor, porque um diagnóstico preocupante tem mais chances de ser revertido. O teste do pezinho e a tipagem sanguínea são exemplos de exames que ajudam bastante os especialistas a identificarem doenças que exigem reação urgente.

Veja sete exames importantes, ainda que nem sempre obrigatórios ou oferecidos pela rede pública de saúde, que são recomendados para o recém-nascido. A pediatra Rejane Silva Cavalcante, do departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBD), e o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, neonatologista do Hospital Albert Einstein explicam quais são eles e como funcionam.

1. TESTE DO PEZINHO BÁSICO

O que diagnostica: fenilcetonúria (deficiência no metabolismo de determinada proteína que pode levar ao retardo mental), hipotireoidismo congênito (deficiência na produção de hormônios da tireoide que pode afetar o desenvolvimento da criança ou levar ao retardo mental), fibrose cística (doença hereditária que pode gerar acúmulo de muco nos pulmões e no pâncreas, podendo levar à morte), hemoglobinopatias (doenças de sangue, como a anemia falciforme).

Quando deve ser feito: 48 horas após o nascimento.

Como é feito: por meio da coleta de sangue do calcanhar (pela praticidade) ou da veia do bebê. Ele precisa ter sido amamentado antes do exame, pois o leite materno deixa problemas metabólicos do organismo mais evidentes.

Disponibilidade: obrigatório e realizado gratuitamente pela rede pública de saúde.

2. TESTE DO PEZINHO AMPLIADO

O que diagnostica: mais de 30 doenças, desde problemas genéticos e metabólicos até doenças infecciosas como a toxoplasmose.

Quando deve ser feito: 48 horas após o nascimento.

Como é feito: por meio da coleta de sangue do calcanhar ou da veia do bebê. Ele precisa ter sido amamentado antes do exame, pois o leite materno deixa problemas metabólicos do organismo mais evidentes.

Disponibilidade: não obrigatório e não oferecido pela rede pública de saúde, mas pode ser solicitado na maternidade.

3. TIPAGEM SANGUÍNEA

O que diagnostica: tipo sanguíneo para o caso de emergências médicas.

Quando deve ser feito: 48 horas após o nascimento.

Como é feito: a coleta pode ser feita do bebê ou, em alguns casos, até da placenta.

Disponibilidade: obrigatório e realizado gratuitamente pela rede pública de saúde.

4. TESTE DA ORELHINHA

O que diagnostica: surdez.

Quando deve ser feito: ainda na maternidade.

Como é feito: o pediatra coloca um aparelho similar a um fone de ouvido na criança ligado a um equipamento que produz estímulos inaudíveis que identificam traços de surdez.

Disponibilidade: obrigatório e realizado gratuitamente pela rede pública de saúde.

5. TESTE DO OLHINHO

O que diagnostica: alterações oculares, como a catarata, que podem levar à cegueira.

Quando deve ser feito: na primeira semana de vida.

Como é feito: um feixe de luz é direcionado nos olhos da criança. Se eles forem saudáveis, emitirão uma cor avermelhada e contínua.

Disponibilidade: não é obrigatório, mas deve ser solicitado. Oferecido pela rede pública, mas realizado obrigatoriamente apenas em algumas cidades.

6. TESTE DO CORAÇÃOZINHO

O que diagnostica: doenças cardíacas, como defeitos nas válvulas do coração.

Quando deve ser feito: ainda na maternidade.

Como é feito: um aparelho de pressão chamado oxímetro é colocado em dois membros do bebê para avaliar a oxigenação do sangue. Se o equipamento apontar diferença entre um e outro, a criança pode ter algum problema cardíaco e, assim, outros exames são solicitados.

Disponibilidade: não é obrigatório, mas deve ser solicitado. Algumas redes públicas realizam o exame gratuitamente.

7. TESTE DO QUADRIL

O que diagnostica: problemas no quadril, como encurtamento do membro e osteartrose precoce, que destrói a cartilagem que reveste o osso.

Quando deve ser feito: ainda na maternidade.

Como é feito: o pediatra movimenta as pernas e o quadril do bebê com técnicas da chamada Manobra Ortolani. Se perceber algum problema, solicita outros exames.

Disponibilidade: não é obrigatório, mas deve ser solicitado. Oferecido pela rede pública, mas realizado obrigatoriamente apenas em algumas cidades.

Fonte: Minha Vida

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Iniciar atendimento
Olá!

Seja bem-vindo a Central de Relacionamento Tommasi. Tem alguma dúvida sobre algum serviço ou procedimento, estamos à disposição para melhor atendê-lo.

Nosso atendimento funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30 e aos sábados – Das 7h30 às 12h. Em outros horários, envie uma mensagem na nossa página Fale Conosco.