O verdadeiro risco de beber álcool na gravidez

Dados inéditos alertam sobre quanto o consumo de bebidas alcoólicas durante a gestação afeta os bebês e a sociedade como um todo.

Todo ano, cerca de 119 mil bebês nascem com a chamada síndrome alcoólica fetal (SAF), causada pela ingestão de álcool ao longo da gravidez. E mais: de acordo com o mesmo levantamento, publicado no The Lancet Global Health, 10% das gestantes não param de beber durante os nove meses. Resultado: 15 a cada 10 mil pessoas apresentam algum tipo de deficiência – física, mental, cognitiva ou comportamental – devido à condição.

Rússia, Reino Unido, Dinamarca, Bielorrússia e Irlanda são os países com maiores índices de grávidas que abusam dos drinques. Não por acaso, a incidência de SAF na Europa é quase três vezes superior à média mundial. As menores taxas, por sua vez, foram encontradas no Mediterrâneo Oriental e no Sudeste Asiático.

Nem toda futura mamãe que ingere álcool terá um bebê com SAF. A estimativa, na verdade, é de um caso a cada 67 gestações em que a mulher não se manteve abstêmia. No entanto, não há dose ou período considerados seguros.

“O melhor é optar pela abstinência”, aconselha Svetlana Popova, cientista do Centro de Adição e Saúde Mental, no Canadá, e responsável pela pesquisa, em um comunicado.

Outros fatores de risco para a má formação do bebê

Predisposição genética
Estresse
Má alimentação
Tabagismo

Fonte: Saúde Abril

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Iniciar atendimento
Olá!

Seja bem-vindo a Central de Relacionamento Tommasi. Tem alguma dúvida sobre algum serviço ou procedimento, estamos à disposição para melhor atendê-lo.

Nosso atendimento funciona de segunda a sexta, das 7h30 às 17h30 e aos sábados – Das 7h30 às 12h. Em outros horários, envie uma mensagem na nossa página Fale Conosco.