Tommasi Laboratório é destaque no jornal A Tribuna em matéria sobre exame de drogas

O Tommasi é o único laboratório no Espírito Santo a realizar todo o processo de exames toxicológicos no Estado e o Jornal A Tribuna fez uma matéria especial, que inclusive foi capa do jornal, sobre esse tipo de exame.

 

Há cerca um mês o Tommasi Laboratório está realizando um exame que é novidade no Espírito Santo. Trata-se do exame toxicológico em queratina, presente em fios de cabelos, pelos e até unhas e é capaz de detectar o uso de drogas até seis meses após o consumo, dependendo do material coletado.

Preocupadas com a saúde dos seus funcionários e a segurança nas funções que eles exercem, algumas empresas já solicitam este exame para detectar trabalhadores que usam drogas, como maconha, crack ou cocaína. Esse inclusive foi o assunto de uma matéria especial do jornal A Tribuna.

O assessor técnico e científico do Tommasi Laboratório, Jorge Terrão, explicou à reportagem a importância do exame. “Somos os únicos a fazer todas as etapas no Estado. No País, o exame não era muito popular até agora, já que o maquinário é mais caro e não existia tanta demanda. Nos Estados Unidos, é usado como rotina por empresas. A tendência é que aqui também venha a crescer daqui para a frente”, disse Terrão à reportagem.

O profissional também explicou que, até agora, as empresas tinham costume de realizar o exame de urina em sua rotina, mas ele só é capaz de detectar drogas ilícitas de três a sete dias após o uso. Ou seja, se a pessoa passar 10 dias sem consumir a substância, o exame não dá positivo: “Em amostras de fios de cabelo, a janela de detecção (período no qual o exame é capaz de detectar o consumo) é de até 90 dias. Já para os pelos do corpo, essa janela chega a 180 dias”.

Algumas drogas que são detectadas

– Cocaína e derivados (como o crack, merla)

– Ecstasy

– Heroína, codeína e morfina

– Fenciclidina (anestésico)

– Maconha

– Anfetaminas e metanfetaminas (por exemplo: rebites)

– Barbitúricos (calmantes e sedativos)

– Benzodiazepínicos (tranquilizantes)

– Antidepressivos tricíclicos

 

Tipos de coletas

Sangue: Pouco utilizado para detectar drogas ilícitas, já que elas são eliminadas da corrente sanguínea em horas.

Urina: É o mais usado atualmente por empresas em exames de rotina, mas só detecta uso de drogas ilícitas em até três dias. No caso da maconha, é acusada em até sete dias.

Pelos e cabelos: No caso dos cabelos, em média são detectados até 90 dias após do uso, dependendo do comprimento dos fios usados no exame. Já os pelos, a chamada janela de detecção (tempo em que o exame acusa o uso após o consumo) é de 180 dias.

Unha: Na falta do cabelo e dos pelos também pode ser utilizada.

 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn