Flora intestinal: cuide-se, previna-se e combata doenças

A flora intestinal, também conhecida como microbioma intestinal, contém uma ampla diversidade de microorganismos (bactérias, fungos e vírus) que protegem o nosso corpo contra os patógenos, os agentes capazes de produzir infecções ou doenças infecciosas

Uma atuação harmônica e simbiótica do microbioma como o hospedeiro (o nosso organismo) também traz benefícios para o sistema imunológico e para a absorção de nutrientes, entre outras funções biológicas. 

Neste artigo, você vai entender a importância da saúde da flora intestinal para a nossa vida e como é possível identificar algum problema nesse arranjo para prevenir e combater doenças.

Quais fatores podem interferir na flora intestinal?

O desenvolvimento inicial da flora intestinal começa após o nascimento. Poucas horas depois do parto, inicia-se a colonização, que vai sofrendo modificações ao longo de diferentes fases da vida. 

Essas mudanças podem ocorrer por hábitos alimentares, usos de antibióticos e quimioterápicos, distúrbios gastrointestinais, síndromes metabólicas, infecções, práticas de exercícios físicos, consumo de probióticos e prebióticos, idade, hormônios etc.

Desequilíbrio da flora intestinal: quais os sintomas?

O desequilíbrio na composição da flora intestinal manifesta-se por meio do desconforto abdominal, gases, constipação, diarréias, dificuldades para perder peso, surgimento de doenças autoimunes e até mesmo depressão. 

Para solucionar esse descompasso, é necessário promover a recolonização de bactérias harmônicas. Mas, antes dessa providência, é importante conhecer a composição do microbioma. Essas informações podem indicar as melhores estratégias para alcançar o reequilíbrio. 

Nesse aspecto, a ciência apresentou uma grande evolução. Com o projeto do Microbioma Humano (HMP), de 2007, tornou-se possível rastrear a composição do microbioma de todos os micróbios (eucariotos, arqueias, bactérias e vírus) residentes em 18 habitats específicos em diferentes áreas no corpo humano, entre elas o intestino. Boca, garganta, vias aéreas, estômago, sistema urogenital e pele também são outras regiões que podem ser verificadas. 

No intestino, a análise molecular mostra composições específicas da comunidade microbiana associadas à saúde ou à doença. Uma melhor caracterização das funções e variações dessa comunidade consegue revelar importantes micróbios comensais (os organismos hospedados) com implicações diagnósticas, terapêuticas e preventivas. 

Como é possível ter acesso a exames sobre o microbioma?

No exame MICROBIOTA INTESTINAL realizado pelo Tommasi Laboratório, o cliente coleta uma pequena amostra de fezes, que é inserida em um tubo contendo um líquido conservante. No laboratório os materiais genéticos são extraídos e as amostras, analisadas por NGS (16S rRNA – v3 e V4). NGS é a sigla em inglês para Sequenciamento de Próxima Geração, caracterizado pelo emprego de métodos novos e mais rápidos para sequenciar estruturas de DNA e RNA. 

O relatório do cliente é construído de forma personalizada por profissionais especializados em genética molecular. Esse registro clínico informará ao paciente se a sua microbiota está em equilíbrio (simbiose) ou desequilíbrio (disbiose). Também apontará os micro-organismos mais relevantes encontrados e conduzirá orientações para modulação intestinal. 

Entre em contato conosco para marcar esse exame. A saúde de sua flora intestinal representa a sua saúde. Conhecer esses dados é importante para prevenir e combater doenças. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras notícias
Tommasi Laboratório