5 erros que você não deve repetir neste verão

Sabe aquele tempo em que sua pele terminava o verão pedindo água? Ficou no passado! É possível atravessar a temporada de calor sem sufoco.

Passou o protetor em casa – e o deixou por lá mesmo

A água retira o protetor que você colocou na pele, mesmo se fez isso há pouco tempo. “O ideal é reaplicar o produto a cada duas horas ou ao ter contato com a água”, diz a dermatologista Elisabete Dobao, do Rio de Janeiro.

Nova atitude: Para não correr o risco de manchar a pele enquanto espera o corpo secar, use uma versão em spray, que pode ser aplicada no corpo molhado. “Mesmo os filtros resistentes à água perdem seu efeito após um mergulho”, diz a dermatologista Carla Vidal, de São Paulo. Vale o cuidado também com a areia, que esfolia o protetor para longe de sua pele. Melhor tomar uma ducha antes de aplicar o produto.

Escolheu um filtro só pelo número grande na embalagem

Basear-se apenas no valor do FPS é um perigo! Se seu protetor solar traz a informação do FPS, mas não cita “proteção UVA alta” ou “amplo espectro”, melhor substituí-lo, porque ele até vai proteger sua pele das queimaduras dos raios UVB – porém, não contra os raios UVA, relacionados a envelhecimento e câncer de pele, nem da luz infravermelha, que também deixa você mais velho.

Nova atitude: Preste atenção em outras letrinhas além do FPS: ele protege de queimaduras dos raios UVB, que representam apenas 10% dos raios que recebemos. “Já os UVA, que penetram profundamente na pele e estão ligados ao fotoenvelhecimento precoce e também ao câncer, agem o dia todo. Vale observar também o valor de PPD de seu protetor na embalagem”, diz a dermatologista Flávia Monteiro, do Rio de Janeiro.

Substituiu o protetor facial pela maquiagem com FPS

Por mais que você ame seu BB cream, não confie apenas nesse item para se proteger na praia. Sim, o FPS dele funciona, mas, como geralmente traz um número mais baixo que o dos protetores para o rosto, ele não será suficiente para bloquear a radiação em uma exposição direta ao sol.

Nova atitude: “O ideal, mesmo no dia a dia, é procurar um filtro solar facial com FPS 30, que funciona bem para a maioria dos tipos de pele”, diz Flávia. E, nas férias, aposte em FPS bem mais altos – como 50 ou 70. Não quer que o rosto fique brilhando e pegajoso? Há diversas fórmulas que garantem toque seco e pele com aparência de estar limpa, além de cobrir imperfeições como se fossem uma base.

Leia também: Entenda mais sobre câncer de pele

Ficou exposto o dia todo ao sol

Nada de reservar uma tarde inteirinha para se esticar na areia e garantir a cor do verão. Depois de um tempo, as células da pele atingem um ponto em que não podem mais fabricar melanina, o pigmento bronzeador. “Esse intervalo varia conforme o fototipo de pele da pessoa”, diz Elisabete. Mas o tempo máximo de produção de melanina é cerca de duas horas – um pouco menos em peles mais claras e um pouco mais para as morenas.

Nova atitude: Nada de querer ver o bronzeado na hora! “Existem duas fases para o bronzeamento: uma imediata, quando surge a cor rosada, e a de escurecimento, que só pode ser totalmente visualizada em até 72 horas”, diz Elisabete. As células estimuladas pelo sol necessitam tempo para produzir melanina. “Como apenas uma a cada dez delas têm essa capacidade, elas demoram um pouco para transferir melanina para as demais”, diz Nick Lowe, da Escola de Medicina UCLA, nos EUA. Ou seja, ficar horas sob o sol expõe você a queimaduras, que descascam e acabam com o bronze!

Não aplicou quantidade suficiente de protetor

Aquela espalhadinha apressada que você dá com o creme pode não valer muita coisa. “Ao usar metade da quantidade recomendada, vai acabar com apenas 2/3 da proteção prometida”, diz o dermatologista Nick Lowe. Ou seja, o investimento feito em um filtro solar FPS 30 cai para um FPS 20.

Nova atitude: Para blindar o corpo todo, serão necessárias quase 6 col. (sopa) de protetor: 1 para o tronco, 1 para as costas, 1 para cada perna, ½ colher para cada braço e ½ colher para rosto e pescoço. Se ficar em dúvida, use o truque do branquinho. “Toda superfície da pele que recebe uma camada suficiente do produto tem que mostrar nitidamente a cor dele até que seja absorvido”, diz Elisabete Dobao. Ainda acha que não está usando o suficiente? Uma alternativa é subir o FPS e investir em barreiras físicas contra os raios solares, como óculos e chapéu. Também fique esperto para não deixar alguns pontos do corpo de lado.

Fonte: Cosmopolitan

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn